• Prefeitura e Daeb trabalham em pontos críticos de alagamentos

    Publicado em: 09/01/2019 21:47

    Autoridades e funcionários da Prefeitura e do Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé (Daeb) realizaram na manhã desta quarta-feira (09/01) visita a diversos pontos de alagamentos da cidade. As inundações ocorreram devido ao grande volume de chuva da madrugada. Segundo pluviômetro da Estação de Tratamento de Água (ETA), a precipitação foi de 124 milímetros.

    O diretor do Daeb, Graciano Aristimunha Pereira, e o prefeito de Bagé em exercício, Manoel Machado, estiveram nos locais críticos, juntamente com suas equipes. “Desde as primeiras horas da manhã ficamos preocupados quando vimos a quantidade de chuva que caia em Bagé. Estamos visitando bairros da cidade e contornando problemas. Destacamos que as equipes estão à disposição da população e todas as secretarias do município estão de sobreaviso caso precisarem atuar dentro de sua responsabilidade”, afirmou Machado.

    O Daeb atuou desde às 3h da manhã em vários pontos de alagamentos da cidade. Cerca de 20 atendimentos foram realizados até o meio dia de quarta-feira. Houve inundações de grande proporção em vários locais, que necessitaram da utilização de retroescavadeira e de caminhão de sucção e jateamento. Entre as ocorrências de maior relevância estão as Ruas Mário Araújo (bairro Bonito), Enfermeiro Nadir de Matos e Valmore Nott (Menino Deus), Rua 745 (Prado Velho) e Rua 266 (Madezatti). “Não estamos medindo esforços para ajudar ao máximo a população que está sendo afetada por esta forte chuva ocorrida em pouco espaço de tempo”, destaca Aristimunha, diretor da autarquia.

    As ações fazem parte do Programa de Combate a Alagamentos (PCA), criado pelo governo municipal em 2017. A iniciativa busca amenizar enchentes na cidade, identificando os pontos mais críticos em relação à drenagem. O PCA prevê, ainda, limpeza de valas, que são realizadas permanentemente em diversas ruas da cidade.


    Lixo

    Boa parte dos alagamentos é provocada pelo acúmulo de lixo nas redes de esgoto pluvial. Bocas de lobo são obstruídas pelos mais diversos tipos de resíduos, impedindo o escoamento da água da chuva e provocando inundações.

    A maioria do lixo é retirado pelos funcionários do Daeb manualmente, com o uso de pás e enxadas. Entretanto, quando o entupimento é muito grande, há necessidade do uso de máquina retroescavadeira. Neste caso, ocorre a quebra de bueiro, que tem que ser substituído por um novo, gerando gastos aos cofres públicos. Além do lixo doméstico, muitos entulhos são encontrados na boca de lobo, como pedaços de televisão, de sofá e colchão.